Criança e Consumo


Diariamente, as crianças estão expostas a um grande volume de publicidade direcionada a elas na internet. Presentes em jogos, sites, redes sociais e até em canais de youtubers mirins, essa comunicação muitas vezes confunde as crianças, que não conseguem distinguir anúncios de conteúdo de entretenimento. O projeto Criança e Consumo , dos Instituto Alana, listou algumas dicas para ajudar mães, pais e responsáveis a lidar com os perigos online.

Achei super interessante e resolvi compartilhar. Me chamou muita atenção as informações sobre os canais do Youtuber. É muito importante saber como funcionam e qual o objetivo de cada um deles. Principalmente se a criança for criar um canal.




1- Mediação do uso da internet

Estar presente e orientar a navegação na web ajuda a garantir que a criança navegue em sites seguros.

2- Saiba como as crianças usam a internet


Procure conhecer os jogos e aplicativos que as crianças usam, saber que informações elas fornecem para acessar ou jogar determinado conteúdo, e que tipos de prêmios estão ganhando.


3- Explique a importância de não fornecer dados

  Converse com as crianças sobre a importância de sua privacidade.

4- Canais de youtubers mirins e redes sociais

Os canais dos youtubers mirins são muito populares entre as crianças. Aproveitando-se da audiência, empresas enviam ‘presentes’ aos administradores dos canais para que sejam apresentados em seus vídeos. As marcas também estão nas redes sociais e, muitas vezes, seus perfis estão repletos de vídeos, imagens, passatempos e posts direcionados ao público infantil. O responsável deve ficar atento a esses conteúdos e, no caso de uma publicidade, pode questionar as intenções da empresa e, dependendo da idade da criança, conversar com ela a respeito, contribuindo para a construção de uma visão crítica.


5- Legislação


Durante o tempo que passam na internet, as crianças estão expostas a possíveis violações, como a publicidade dirigida ao público infantil. Diante desse cenário e da importância de atualizar a legislação vigente, que considera a publicidade infantil ilegal, é importante que mães, pais e responsáveis saibam que tramita na Câmara dos Deputados, desde maio de 2015, o Projeto de Lei 1746/2015que acrescenta um capítulo ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) sobre a garantia do direito de proteção dos dados das crianças e dos adolescentes na internet. O PL reconhece a abusividade da publicidade voltada para o público infantil e da coleta de informações não autorizadas para fins mercadológicos.


O Projeto Criança e Consumo. do Instituto Alana foi criado em 2006. Atua para divulgar e debater ideias sobre as questões relacionadas à publicidade dirigida às crianças.

Para mais informações acesse:





”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

A importância da parceria família/escola

Acompanhe a vida escolar do seu filho. Participe ativamente das reuniões dos encontros promovidos pela escola. Se ...